Get Adobe Flash player
Anticor - Anticorrupção na França
Galeria Edemar Cid Ferreira
Home Sala dos Escândalos

postheadericon Sala dos Escândalos

AddThis Social Bookmark Button

postheadericon Refinaria Abreu e Lima

AddThis Social Bookmark Button

O Tribunal de Contas da União (TCU) está investigando a obra da refinaria Abreu e Lima da Petrobras em Pernambuco.

A estatal brasileira está arcando sozinha com todos os custos da construção do projeto que era para ser uma parceria com a PDVSA - a estatal de petróleo da Venezuela.

Mas o acordo firmado entre os então presidentes Lula e Hugo Chávez nunca teve a situação jurídica formalizada. Desde 2008, o TCU faz auditorias na refinaria e já concluiu que houve superfaturamento em alguns contratos. O custo inicial da obra saltou de mais US$ 2 bilhões para cerca de US$ 18 bilhões A presidente da Petrobras, Graça Foster, já classificou publicamente os gastos com a refinaria como uma história a não ser repetida.

A Petrobras também é investigada pelo TCU pela compra de metade da refinaria de Pasadena, nos EUA. O negócio foi realizado em 2006 e é alvo de investigações também  na Polícia Federal e no Ministério Público por suspeita de superfaturamento e evasão de divisas.

postheadericon Escândalo dos cheques administrativos

AddThis Social Bookmark Button
Ângelo Calmon de Sá. Ex-banqueiro brasileiro. Foi ministro da Indústria e Comércio durante o governo de Ernesto Geisel. Ficou conhecido quando o Banco Econômico sofreu intervenção no ano de 1995. Calmon de Sá foi condenado a treze anos e quatro meses de prisão em regime fechado pela Justiça Federal no dia 3 de outubro de 2007, mais de doze anos após a intervenção, por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. O ex-vice-presidente José Roberto David de Azevedo também foi condenado e recebeu uma pena de seis anos, também em regime fechado.

postheadericon A compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras

AddThis Social Bookmark Button

A compra pela brasileira Petrobras de uma refinaria de petróleo em Pasadena, Texas (EUA), em 2006, levantou suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas na negociação. Mas o caso ganhou ainda mais repercussão porque, na época, quem presidia o Conselho de Administração da estatal, que deu aval à operação, era a atual presidente da República, Dilma Rousseff.

Em 2006, a Petrobras pagou US$ 360 milhões por 50% da refinaria (US$ 190 milhões pelos papéis e US$ 170 milhões pelo petróleo que estava em Pasadena). O valor é muito superior ao pago um ano antes pela belga Astra Oil pela refinaria inteira: US$ 42,5 milhões. Em 2008, a Petrobras e a Astra Oil se desentenderam e uma decisão judicial obrigou a estatal brasileira a comprar a parte que pertencia à empresa belga. Assim, a aquisição da refinaria de Pasadena acabou custando US$ 1,25 bilhão à petroleira nacional, mais de 27 vezes o que a Astra teve de desembolsar.

A presidente Dilma afirmou, após a abertura de investigações no Tribunal de Contas da União (TCU), Polícia Federal e Ministério Público, que só aprovou a compra dos primeiros 50% porque o relatório apresentado ao conselho pela empresa era "falho" e omitia duas cláusulas que acabaram gerando mais gastos à estatal.

postheadericon Escândalo das Comunicações

AddThis Social Bookmark Button

O Escândalo das Comunicações foi o grande número de concessões de rádios e TVs para políticos, aliados, ou não, a José Sarney. A concessão era a moeda de troca de cargos, votos e apoio ao presidente.

Mais Artigos...